Procurar
Close this search box.

Deduza no IRS pela sua saúde

O nebuloso mundo da tributação pode trazer muitas dúvidas, mesmo aos mais experientes. No campo dos Seguros de Saúde, as perguntas mais habituais são: estes seguros são dedutíveis no IRS? Se sim, quanto? Como referi-los na declaração? E as empresas, têm benefícios?

Felizmente, a Diagonal Seguros pode ajudar a responder a estas perguntas, para que possa otimizar a sua situação tributária.

Os Seguros de Saúde são dedutíveis no IRS.

Seguro de Saúde

1. Quanto pode deduzir

Ao contrário dos Planos de Saúde, os Seguros de Saúde são dedutíveis no IRS.

Pode deduzir 15% do valor suportado com despesas de saúde do Segurado, ou de membros do seu agregado familiar, até ao limite global de 1.000 €.

No momento da entrega da declaração de IRS, além das despesas de saúde comparticipadas pelo seguro, pode declarar o próprio prémio do seguro.

Deduzir seguro de saúde no IRS

2. Como declarar o Seguro de Saúde?

Caso os Seguros de Saúde não apareçam pré-preenchidos no momento da entrega do IRS:

  • Adicione o anexo H à sua declaração de IRS;
  • Indique “Sim” no campo 01 do quadro 6C1;
  • Declare os membros do seu agregado familiar;
  • Preencha o quadro 6C1, utilizando uma linha por cada código de despesa e por cada um dos titulares;
  • Insira os valores, referindo as despesas de cada membro do agregado.
Seguro de Saúde empresas

3. Há benefícios para as empresas?

Os Seguros de Saúde são aceites fiscalmente no IRC. As empresas podem usufruir de um benefício fiscal de até 15% da massa salarial bruta anual, em benefícios dos seus Colaboradores.

Os benefícios devem ser para a generalidade dos Colaboradores permanentes da empresa e devem ser dados a todos os Colaboradores, mesmo que de classes profissionais diferentes.

Para que saiba tudo o que precisa… temos o seguro.

Partilhar:

Mais artigos

Seguro Diretores e administradores

Lidar com reclamações contra Diretores e Administradores

O número de reclamações contra Diretores e Administradores na Europa cresceu 40% entre 2015 e 2022, indica um estudo da PwC. As principais razões para as reclamações são: violações de leis e regulamentações (30%); falhas de governança corporativa (25%); erros e omissões na gestão (20%); questões de sustentabilidade (15%); e disputas em fusões e aquisições (10%).

Tem sugestões para nós?